sexta
17/02/17

Fanfulla

 Neste domingo, 19/02, o Museu da Imigração organiza o evento Viva! Itália. Para essa ocasião, a equipe técnica do Museu preparou uma vitrine especial com alguns objetos que se se relacionam a um importante jornal da comunidade italiana em São Paulo.

 

 

O nome Fanfulla soa familiar para inúmeros imigrantes e descendentes de italianos; e não é à toa: além de ser o nome de um navio que trouxe vários compatriotas para a América, Fanfulla é um dos mais populares periódicos dessa comunidade, fundado na década de 1890. Foi no ano de 1966, sob a gestão de Alessandro del Moro, que ganhou o nome “La Settimana”, passando a rodar semanalmente; em 1979, passa a chamar-se “La Settimana del Fanfulla”, como aparece nesta vitrine.

 

 

 

 

Ao longo das décadas, o jornal circulou amplamente em São Paulo e noticiava tanto sobre o país de origem quanto sobre a realidade local, em língua italiana. Ainda em funcionamento, circula atualmente somente em formato digital e segue por conta da família da esposa de del Moro, Mariana Dellarole, que compartilhou conosco suas memórias em nosso projeto de História Oral, onde conta sobre o início de seu marido à frente do Fanfulla:

 

“…depois ele estava ainda na Metalúrgica Matarazzo; na época tinha uma tipografia, ele entrou sócio da tipografia, saiu da Matarazzo. Nessa tipografia, naturalmente muito primitiva, era feito um jornal que não era o Fanfulla, e quando chegou uma ocasião queriam se desfazer do Fanfulla e acharam que ele, vamos dizer, tinha esse espírito de italianidade e estava dentro do ambiente tipográfico, então poderia pegar. Então passaram para ele um saco de gatos (risos). Mas vamos dizer, ele pegou, se sentiu muito satisfeito, muito orgulhoso, né? E realmente foi muito difícil…”

 

“Eu, de vez em quando, gosto de saber… até de um assinante novo, como ele veio, porque está assinando o jornal, onde ele conheceu… Mas como sou meio desligada, nisso infelizmente eu perdi muita coisa, de gente que escrevia “o nosso belo jornal”, porque eu nunca dei muita importância a isso. Agora, no final, você começa a dar importância, entende? Porque no fundo é a prova palpável que o jornal serviu, que não é uma vaidade sua, não é?”

 

A entrevista pode ser consultada na íntegra no Centro de Preservação, Pesquisa e Referência (CPPR) do Museu da Imigração, tanto por meio de sua transcrição quanto de sua gravação multimídia.

 


 

Referência História Oral:

DEL MORO, Mariana Dellarole. Mariana Dellarole Del Moro: depoimento [ago. 1997]. Entrevistador: S. M. de Freitas. São Paulo: Memorial do Imigrante, 1997. Entrevista concedida ao Projeto de História Oral do Memorial do Imigrante. (Série Depoimentos, 108).