Histórico

Nos séculos XIX e XX representantes de mais de 70 nacionalidades chegaram ao Brasil com o sonho de “fazer a América”. Desembarcaram em terras brasileiras com o anseio de refazer suas vidas trabalhando nas lavouras de café e na indústria paulista. Desde então, trouxeram contribuições expressivas para a história e formação cultural do país. Um conjunto de heranças como sobrenomes, sotaques, costumes, culinária e vestimentas são, até os dias atuais, traços significativos desse processo.

Inaugurada em 1887, a Hospedaria de Imigrantes se tornou o principal local de abrigo dos estrangeiros recém-chegados. Nesse sentido, o antigo prédio da Hospedaria – hoje sede do Museu da Imigração – foi cenário de expectativas, conquistas e angústias de mais de 2,5 milhões de pessoas que formaram um intenso entrelaçamento étnico entre 1887 e 1978.

Ao longo de seus 91 anos, a Hospedaria acolheu e encaminhou os imigrantes aos novos empregos. Para isso, o prédio contava com a Agência Oficial de Colonização e Trabalho. Além dos alojamentos, foi criada uma Central de serviço médico com farmácia e laboratório de análises, serviços de correio e telégrafo, posto policial, lavanderia, cozinha, refeitório e um setor de assistência odontológica.

Especialmente na década de 1930, a Hospedaria de Imigrantes passou a acolher também trabalhadores migrantes de outros estados brasileiros. Na década de 1970, perdeu sua função original e em 1978 recebeu pela última vez um grupo de imigrantes coreanos, pouco antes de encerrar suas atividades.

Linha do Tempo| Utilize a rolagem da página para acompanhar ano a ano, ou escolha o ano desejado diretamente na linha do tempo abaixo:

1886

Início da construção do prédio.

1887

Ainda inacabada, a Hospedaria recebe os primeiros imigrantes.

1892

A Hospedaria é vinculada à recém-criada Secretaria da Agricultura, Comércio e Obras Públicas.

1905

Instituído o Departamento de Terras, Colonização e Imigração (DTCI), que passa a administrar a Hospedaria.

1924

A Secretaria de Segurança Pública utiliza algumas dependências da Hospedaria como presídio político durante a Revolução de 1924.

1932

A Hospedaria é ocupada pela Força Pública e utilizada como prisão para os getulistas (partidários do presidente Getúlio Vargas) durante Movimento Constitucionalista.

1936

O prédio passa por reformas, alterando algumas de suas características originais.

1939

O Departamento de Terras, Colonização e Imigração (DTCI) é transformado em Serviço de Imigração e Colonização (SIC).

1952

Início de novas obras no edifício da Hospedaria.

1967/68

Com a criação da Secretaria de Estado da Promoção Social, a Hospedaria recebe o nome de Departamento de Migrantes (DM), ligado àquele órgão.

1978

Encerramento das atividades da Hospedaria de Imigrantes.

1982

O conjunto arquitetônico é tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (CONDEPHAAT).

1986

Criação do Centro Histórico do Imigrante, vinculado à Secretaria de Estado da Promoção Social.

1993

Criação do Museu da Imigração que, subordinado à Secretaria de Estado da Cultura, passa a administrar o acervo do Centro Histórico do Imigrante.

1996

Realização da 1º Festa do Imigrante.

1998

Criação do Memorial do Imigrante.

2010

Início do restauro do prédio da antiga Hospedaria de Imigrantes. O Memorial do Imigrante passa a ser denominado Museu da Imigração.

2014

Inauguração do novo Museu da Imigração do Estado de São Paulo.