TESTE1211113
quinta
01/02/18

Vitrine do acervo: Uma meia por favor

Nesta vitrine do acervo apresentamos um item bastante curioso que faz parte de nosso acervo museológico: uma meia de lã marrom, incompleta, com as quatro agulhas utilizadas em sua confecção ainda presas a ela. A produção artesanal de artigos de lã é uma prática difundida em diversos lugares do mundo. Seu uso geralmente se dá no interior da própria família e circula, por vezes, no pequeno comércio artesanal. Esta não chegou a ser utilizada e tampouco sabemos para quem teria sido tricotada.

 

 

O questionamento sobre o porquê de ter sido doada para o Museu dessa forma, ainda inacabada, nos levou a buscar informações em nossa documentação; o objeto, porém não apresentava nenhum dado de procedência. Continuamos procurando em nossos registros e encontramos um processo de doação de uma série de objetos que pertenceram a uma migrante romena, a senhora Pelaghia Volcov, doados ao museu em 2002. Entre seus objetos encontram-se capas para cadeira, toalhas, lençóis, cobertor e também uma meia de lã de cor chocolate, bem como alguns conjuntos de agulhas de metal na forma de varetas finas usadas para confeccionar meias. Nesse registro, porém, não é mencionada nenhuma informação sobre a meia estar incompleta ou sobre as agulhas estarem presas a ela. Estas, por sua vez, encontram-se registradas em maior número dos que as que estão de fato presas à meia.

 

 

Essa documentação traz ainda um pouco da história da senhora romena, abordando sua trajetória e sua relação com os objetos doados: “dominava com segurança a arte do tricô, até com cinco agulhas, e fazia meias, xales, blusas, luvas, pulôveres. (…) em tudo ela queria perfeição; se descobrisse erro, desmanchava todo o trabalho até eliminar o erro. Isso era feito sem reclamação por parte dela, pois dizia: ‘se alguém que saiba fazer, olhar, vai descobrir que está errado e vai dizer certamente que quem fez não é caprichosa e nem sabe fazer direito’”.

 

Ainda que acreditemos, pela descrição dos itens, que poderiam ser de fato os mesmos objetos, não temos como afirmar com certeza que esta meia de lã incompleta seria uma das produções de Pelaghia Volcov. Tal dificuldade de aproximar informações existentes é mais um dos desafios que a equipe do Museu da Imigração enfrenta ao se debruçar sobre a coleção e sua documentação, ilustrando os caminhos e descaminhos de nosso trabalho cotidiano com essas peças, receptáculos de inúmeras memórias e histórias, bem como suas fragilidades e encantos.